terça-feira, 29 de outubro de 2019

O Desafio dos Cabelos Brancos




Grisalhos - O que fazer com eles?!?!



cabelo grisalho é caracterizado pela ausência de cor nos cabelos. No âmbito mais comum está associado ao envelhecimento humano, principalmente a partir dos 40 anos de idade. 


A mudança de coloração dos cabelos ocorre naturalmente com o envelhecimento de forma usualmente gradativa: inicialmente surgem os primeiros fios brancos que vão dando a coloração grisalha em quem tem cabelos de tons escuros; com o avanço da idade mais fios de cabelo vão se tornando brancos, podendo afetar todos os fios. Aos 40 anos de idade aproximadamente 40% das pessoas possuem fios brancos de cabelo. Essa característica do envelhecimento é chamada de acromotriquia e também é observada em outros animais tais como equinos, cães e gatos.


Vários estudos buscam estabelecer uma causa para o aparecimento prematuro de cabelos brancos associando sua ocorrência prematura ao consumo de tabaco e deficiências nutricionais na alimentação. Um estudo recente aponta que o aparecimento de cabelos brancos está associado a uma concentração maior de peróxido de hidrogênio (água oxigenada) nos folículos capilares, abrindo novas perspectivas de tratamento.




O Que Acontece nos Cabelos Grisalhos?
Quando seu cabelo não produz mais melanina, apenas a queratina do fio do cabelo permanece. Já que a queratina é do que as unhas também são feitas, se você reparar o cabelo cinza é a mesma cor que as unhas. Seu cabelo grisalho pode ser ligeiramente amarelado ou acinzentada ou branco puro. Estas variações vem da estrutura das escalas da queratina, e se elas refletem mais ou menos luz, e de minerais na água que você bebe e costuma tomar banho.





A Henna cobre os grisalhos?

A boa notícia é que sim!!!  
MAS VAI DEPENDER DA TEXTURA, SAÚDE, OLEOSIDADE E FINALMENTE DA FREQUÊNCIA DE LAVAGENS.
O tingimento em grisalhos ocorre por impregnação e depósito. Então pode acontecer de vc não conseguir cobrir perfeitamente nas primeiras vezes. Se vc lava 4 ou 5 vez na semana não espere que o índigo fixe em seus cabelos.



Também será necessário uma PRÉ-PIGMENTAÇÃO com a própria henna.  




Para cobrir os cabelos brancos de modo satisfatório, na primeira vez deve se usar só a Henna por 3 horas e após isso retirar com bastante água.

Feita esta pré-pigmentação vc pode continuar com o uso normal já descrito neste blog. 
(Para saber mais como usar as plantas para tingir acesse henna + índigo)


Mas Iara, e com o passar do tempo como eu devo proceder?

Depois de hennar o cabelo, as raízes voltarão a crescer e você terá que decidir o que deseja fazer com elas. O cabelo grisalho cresce mais rápido que o cabelo pigmentado. Os cabelos grisalhos de algumas pessoas crescem tão rapidamente que elas precisam retocar suas raízes toda semana; outras podem esperar seis semanas.


Felizmente com a henna, cobrir as raízes de crescimento rápido é simples e pode ser feito a cada semana à medida que se tornam visíveis. 

Quando for congelar sua henna use a bandeja de gelo


Pegue um pouco de henna congelada de sua bandeja de cubos de gelo e descongele-a. Aplique-a nas raízes visíveis antes de dormir, amarre um lenço e lave a pasta de henna na manhã seguinte. Você geralmente não precisa mais do que algumas colherzinhas de pasta de henna para retocar. 




Clique aqui para comprar henna e índigo




Fontes:

- Oliveira, Ricardo A. G. De et al. A química e toxicidade dos corantes de cabelo. Química Nova. Sociedade Brasileira de Química, v. 37, n. 6, p. 1037-1046, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/114540

ARALDI, Janaina; GUTERRES, Silvia S.. TINTURAS CAPILARES: EXISTE RISCO DE CÂNCER RELACIONADO À UTILIZAÇÃO DESSES PRODUTOS?. Infarma - Ciências Farmacêuticas, [S.l.], v. 17, n. 7/9, p. 78-83, jan. 2013. ISSN 2318-9312. Disponível em: <http://revistas.cff.org.br/?journal=infarma&page=article&op=view&path%5B%5D=266&path%5B%5D=255>. Acesso em: 15 aug. 2019.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Cabelo_grisalho acessado em 15/08/2019

http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/250475/1/Richena_Marina_M.pdf

http://revistas.cff.org.br/?journal=infarma&page=article&op=view&path%5B%5D=266